BEDA

#19 Dinâmicas de um corte de cabelo

22:15

Eu sou uma péssima pessoa quando falamos sobre mudanças capilares. Péssima mesmo. Do nível que pede pra cortar três dedinhos e sofre achando que vão errar a conta (dica, já erraram. Erraram feio, erraram rude). Não consigo me apegar aos clichês tipo "cabelo cresce".



Por causa disso, eu nunca vou conseguir cortar franjas da forma que eu acho maravilhoso (morro de vontade, morro de medo/vergonha), mas também por causa disso nunca vou arriscar cortes curtos novamente ou querer, sei lá, pintar o cabelo.

Aí hoje eu estava de boas no salão, pensando sobre o mundo e vivendo minha maravilhosa vida imaginária depois de explicar como queria meu cabelo (repicado, desfiado etc), quando:

- Nossa, cabelo loiro é bonito, mas resseca tão fácil, né?
- Uhum. Verdade.
- Então, você cuida do seu cabelo com tinta só?
- Hein?
- Você. A cor do seu cabelo. É tinta ou você usa algo mais?
- Não uso nada, não.
- Ah. Só tinta?
- Eu não pinto cabelo.
- MASOQ



Eu não tenho nada de especial no cabelo, mas algo no tom de loiro dele faz com que algumas pessoas fiquem impressionadas. Desde que era pequena aprendi a usar shampoo e condicionador de camomila (às vezes chá de camomila, às vezes qualquer outro produto de camomila, rs), mas não tenho a menor coragem de pintar.

Quando conhecem a minha irmã, então, o diálogo se adapta a:
- Que cor você usa no seu cabelo?
- Eu não pinto o cabelo, não.
- E sua irmã? Tão preto, o cabelo dela. Usa que tom?
- Ela não pinta o cabelo também.
- Uhm. Mas o cacheado, é dela mesma?
- Não, achamos na esquina. Sim, tudo dela.
- Mas não é possível!!!111

Eu nunca entendi essa dinâmica de salão, Esse elogia-não-elogia. Migues, vamos aprender? Dizer "seu cabelo é tão bonito, que cor você usa?", "esse cacheado/esse liso parece tão natural, onde você fez?" ou: "seu cabelo é tão bonito, nem parece seu" não é elogio.

Nem de longe.



Eu não sou a pessoa que mais frequenta salão nesse mundo. Talvez seja uma das que menos frequentam, então esse jogo é meio complicado pra mim. Acontece quando você tá lá, acontece quando você sai e no tempo que seu cabelo recém picotado ainda parece novidade.

Às vezes ainda acontece de eu ganhar uma escova indesejada, mesmo preferindo que o cabelo continue ondulado porque "assim é mais bonito". Aí o corte termina, eu ganho uma nova cara que quem vê de longe acredita na existência da vaidade, acabo cedendo à imagem no espelho, tenho vontade de dormir sentada pra não estragar o penteado (#rochellefeelings) etc. Mas sigo sem entender uma linha e começo a reunir forças pra quando as pontas duplas aparecerem novamente #dramascapilares.

não fiquei linda? ¯\_(ツ)_/¯

2 comentários

  1. Eu nunca pintei o meu cabelo, mas ano passado pela primeira vez eu tive coragem de passar a tesoura valendo no meu cabelo. Ele tava na altura da bunda quase, rs, e foi parar quase no pescoço. Foi uma relação de amor e ódio, mas agora estamos bem.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Sis, cê sabe que se tem uma coisa ao qual eu não sou apegada é o meu cabelo, já pintei ele de várias cores e jeitos mas hoje em dia ele ta do jeitinho que Deus fez e os hormônios mudaram hahah nenhuma cabelereira ousa me oferecer uma escova ainda mais quando decidi não alisar nem a franja... mas tem um povo abusado mesmo! É uó, por isso que detesto salão e demoro uma vida pra escolher uma cabelereira que entenda minha juba!

    beijo!

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.