BEDA

#11 joga fora.

21:43

(daqui)


a palavra mal dita, o medo, o pesadelo que vem noite sim, noite não. a decepção, a situação mal resolvida, o veneno alheio que a gente absorveu (e aí? já era). o desconforto, o rancor, a mágoa, a dor do soco, a mensagem não respondida, a distorção. o ambiente tóxico, os desaforos, as discussões inteiras tortas. o ponto fraco mil vezes apontado, cutucado ou lembrado. 

seja com os outros, seja com nós mesmos, seja com quem a gente ama, seja algo que a gente superou, mas que de vez em quando teima em aparecer na memória, sair das sombras, provocar uma coisa assim que ninguém sabe bem como nomear, só sabe que ainda tá lá e desequilibra.

seja com um amigo que não é mais, com um amor que não é mais, com um familiar que é pra sempre. seja com o colega de faculdade, com o chefe que é legal-mas-nem-tanto, com o vizinho ou um (des)conhecido no meio do caminho.

seja com a gente, com o espelho, com o que existe na nossa mente, na memória, no coração, seja lá onde for: seja.

2 comentários

  1. WORDS CANNOT DESCRIBE MY FEELINGS FOR THIS!
    Tem 50 tons de sinceridade, exorcismo e liberdade nesse texto sis e não poderia te amar mais!

    <3

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.