BEDA

#09 if you keep me next to you

19:35

(daqui)
Então você chegou com aquele sorriso que me faz lembrar do motivo pelo qual eu escolhi permanecer e eu não soube dizer se todo esse tempo parecia uma eternidade ou se passou num piscar de olhos. Eu poderia dizer que esse sorriso é a minha coisa preferida no mundo, mas só até eu abraçar você. Eu tive todos os surtos de ansiedade, todas as crises de angústia, todo tipo de pensamento babaca e uma sensação enorme de que eu poderia não ser mais o suficiente e deixei tudo isso para trás no momento em que te vi de volta. Eu quis saber de toda história acumulada dos últimos dias, eu quis ouvir uma dúzia de vezes que você estava feliz, eu te pedi em casamento e poderia muito bem estar falando sério. Eu queria um minuto mais e também queria não sentir tanto sono só pra prolongar o fim de semana. Você parece mais encantador do que nunca, mais realizado do que nunca e eu sinto tantas coisas que não sei dar nome pra essa sensação de quando te olho e só quero ficar ali, olhando, agradecendo pelas coisas mudarem, por você ter se esforçado por mim e por eu ter decidido que valia a pena, apesar de todas as opiniões divergentes. Valia a pena porque você me abraça e me olha e beija minha testa da mesma forma de antes, e demonstra saudade do seu jeito meio bobo, meio querido e por mais que você tenha amadurecido em tão pouco tempo, você continua a mesma pessoa com quem eu quero estar. Você tem as respostas mais simples para todos os meus dilemas existenciais e que são plenas verdades. Você continua sendo uma das minhas melhores inspirações, apesar de tudo que eu escrevo ser clichê e ridículo (porque todas as cartas de amor são ridículas). Eu gosto das suas certezas, eu gosto da sua presença e eu gosto de ter meu lugar seguro por perto. E gosto de escrever essas cartas que, apesar de redundantes, são sobre você. 

0 comentários

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.