crônicas e contos

Graças a Deus existem os finais

17:46

Sinceramente, não acho que 2014 foi um ano que trouxe coisas muito alegres ou motivacionais para mim. Caberia nos dedos de uma mão quantas coisas verdadeiramente inspiradoras aconteceram. E, portanto, estou no time de pessoas que querem que esse ano acabe logo.

O final do ano passado foi um período um pouco crítico pra mim e para algumas amigas. Foi, provavelmente, o começo de algumas mudanças (que se arrastam como tartaruguinhas) e o início do final de ciclos que nos sugavam. Por isso, há algumas semanas, uma amiga me chamou para conversar me lembrando que já fazia um ano.

Pois é.
Fazia um ano que as coisas haviam começado a mudar e, ao mesmo tempo, ainda era como se faltasse muita coisa. Mas muita coisa mesmo. Quando eu fazia terapia aprendi que devemos resolver um problema por vez, então vou confiar que seja isso.

No entanto, ontem, quando essa mesma amiga me contou que queria fazer algo que considerou impulsivo ou loucura, me dei conta de como tenho admirado alguns finais. De como eles são necessários. De como precisam ser bem-vindos, mesmo quando são pouco desejados.

daqui


O namoro de duas amigas começaram depois de um final que as consumia. Outra amiga, que já teve alguns "quase-finais", talvez esteja realmente pronta para começar agora. O meu próprio namoro só aconteceu depois de um final e eu não poderia estar mais feliz sobre isso.

Eu não gostei de terminar a faculdade no meio do ano porque, pra mim, não significava um final, de fato. Significava apenas arrastar mais alguns meses até sentir que o ciclo estaria acabado. E é o que tem acontecido.

Eu disse a essa amiga ontem que ela deveria "ter fé nos seus finais para seus começos acontecerem" e só depois me dei conta do que isso realmente significou para mim. Só depois me dei conta de que eu, sempre tão ansiosa e sempre tão apegada, raramente consigo aceitar um final ou decretá-lo. Ainda que eventualmente essa seja a coisa certa a fazer.

Existem outras coisas na vida que eu quero desesperadamente que comecem e agora notei que, para isso, preciso decretar os finais do que estou vivendo. Seja do que já me estafou, seja do que não foi pra frente, seja do que não serve mais ou do que não toca.

Precisamos aceitar o fim, deixar as energias circularem... Porque os começos tendem a ser mágicos.

6 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Fran,
    apenas uma coisa sobre esse post: que texto necessário na minha vida nesse momento! Muito obrigada!

    PS: Apaguei o anterior porque faltaram exclamações. Sou dessas (pestes) :D

    ResponderExcluir
  3. Fran, vim ler esse texto por causa do título. Tu sabe da minha história e de como, pelo menos no campo amoroso, o final de um relacionamento foi extremamente bem-vindo e necessário para que as coisas evoluíssem.

    Existem finais que vem para o bem, eis a verdade. Ciclos se encerram para que outros comecem ou se refaçam de um jeito novo.

    Adorei teu texto! Me vi demais.
    Beijo, Fran Young <3

    ResponderExcluir
  4. Sabe aquela gargalhada gostosa ao ler um texto? Você arrancou um sorriso bobo meu, moça. Sim, às vezes (ou quase-sempre), preciso que você seja essa amiga que me dá um empurrãozinho à loucura e ao futuro.
    Obrigada por estar aqui e por compartilhar esse seu momento epifânico tão inspirador!

    Beijo, Fran!

    ResponderExcluir

  5. "ter fé nos seus finais para seus começos acontecerem" me identifiquei tanto :')
    Que texto inspirador, Fran! <3

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.