.MEMES

Querida Fran de uma década de vida,

16:29

(daqui)

Aqui quem fala é a Fran de duas décadas de vida. Sei que você não vai demorar a acreditar nisso, pois sempre se perguntou como estaria em dez anos e se, em algum lugar, existia algum tipo de universo paralelo com uma você mais velha. Eu não descobri isso ainda, infelizmente, mas afirmo que estamos relativamente bem. Sabemos o quanto você gosta de cartas e o quão curiosa é, então  deixo aqui alguns conselhos de como sermos nós mesmas.

Queria te contar que em pouco tempo você estará mudando de escola. É, nunca imaginamos isso, nunca imaginamos que tínhamos um mundo ao nosso alcance, não é? Pois bem, você será sorteada para estudar em uma escola que, apesar de não ter te feito muito bem, vai te preparar um pouco para o mundo. Vai te mostrar que a realidade de algumas pessoas não é boa e que isso não é culpa delas. Vai te dar amigas que durarão todos esses anos. Vai mostrar o quanto todo mundo acredita em você (temos um problema com isso). E, acima de tudo, te apresentará uma pessoa que será muito importante na sua vida.

Aliás, garanto que não conhecer sua ídola na primeira oportunidade não será tão ruim assim. Esse tipo de oportunidade vai e volta, mas não crie o costume de deixar passar algumas coisas.

Nesse meio tempo, você descobrirá que apesar do seu sonho pelo piano, seu amor de verdade é outro instrumento. Sua rotina vai se tornar seu refúgio, então aproveite-a bem: hoje em dia sentimos saudade de ter tempo e estamos um pouco rabugentas por não vivermos o que amamos. Essa rotina te fará amadurecer e te dará orgulho de si mesma.

Ah! Trabalhe sua autoestima desde já. Vai ser cada vez mais difícil lidar com isso.

Em mais ou menos um ano você conhecerá algo chamado "blog". Apenas invista nisso. Vai fazer você conhecer muitos dos seus amigos. Aliás, a internet será uma ótima aliada daí pra cá.

Seus próximos quatro anos passarão voando. Ótimo em partes, bem ruim em outras. Mas tudo isso vai te levar ao seu ensino médio. Uma das duas melhores fases da sua vida, por enquanto. Você conhecerá ótimas pessoas e muita gente que combina com você. Isso é ótimo. E confie em mim: eles se manterão por perto por muito tempo, apesar da distância física que virá depois. Ainda sentirá falta da rotina que tinha, mas algumas recompensas virão.

Em um desses anos, finalmente você conhecerá sua ídola infanto-juvenil. Ver a Belinda de perto será ótimo, mas vai te mostrar como as coisas mudaram. Você também vai se magoar algumas vezes, mas afinal, quem nunca? No fim, não será tão importante quanto vai parecer na hora. 

Esteja preparada para quando perder algumas pessoas que, apesar de gostarem muito de você, querem impor como você deve ser. Não seja e não se preocupe caso se sinta mal por não ser. Não ia valer a pena. Só não deixe que as mágoas disso dominem você. 

Seja amiga da sua irmã e tente ser menos ranzinza com seus pais. Eles erram porque são humanos e você não vai querer lidar com a sensação de não ter feito o suficiente pelos três (não, aparentemente não é verdade, mas você sabe como somos). Ah! Logo você adotará o melhor cachorro do mundo. Passe mais tempo com ele.

Arrisque-se. Seja lá o que isso significa.

A "pessoa muito importante" estará por perto em todos esses anos, mas com um contato mais forte no seu terceiro ano. Você sempre quis namorar e viver um conto de fadas, mas algumas ideias vão mudar durante os anos que você se relacionar com esse cara. Apesar de todas as sensações ruins que você viveu, não o culpe por isso. Todos nós temos fantasmas e não é porque o você finge lidar com os seus (sim, finge: algum tempo de terapia vai te jogar isso na cara) quee todos devem fazer o mesmo. Só tente se impor um pouco mais (seria mais fácil se nossa autoestima estivesse trabalhada, como eu disse).

De todo meu coração, não acredite em contos de fadas. Não acredite em exceções ou que vale a pena esperar mudanças. Não espere alguém te fazer feliz. Ainda assim, eu te garanto que mudanças virão e que você vai ser muito feliz com o tal cara. Permita que ele saiba sobre todas as suas feridas, mas as cure sozinha. Existem coisas que nos afetam apenas porque permitimos isso, e não há no mundo nada que mereça mais atenção que o amor próprio.

Seja gentil. Continue sendo a menina que ama intensamente, que se entrega intensamente e que pergunta demais. Escreva sem parar. Mantenha sua curiosidade e sua capacidade de conversar com qualquer um. Não deixe que a rotina que virá depois disso te angustie ao ponto de você ter que esconder quem é. Você vai chorar em algumas palestras e vai chorar quando voar pela primeira vez e ver o céu amanhecer. Tudo bem. Essa é você.

Em determinada época, com cada vez mais frequência, você vai se sentir inquieta e com vontade de fazer opções mais fáceis. No fundo, sabemos que não funciona assim. Tenha fé por nós duas quando sonhar com a tal carreira, o tal livro e com "fazer algo de bom da vida". Essas últimas coisas não aconteceram ainda, mas quem além de nós melhor para afirmar que logo logo acontecerá?

E, por fim, me despeço com um pedido: quando chegar a minha idade, faça o favor de não ser desesperada (isso nos causou gastrite e nossa memória anda capenga) e de dar o máximo de atenção ao que te faz bem e ao que gosta. Faça disso nosso combustível. Já tem sonho demais dentro da gente, tá na hora de colocá-los no mundo real.

1. Blogagem coletiva do Rootaroots, inspirado em uma categoria do Hypeness. 2. E não é que cês me animaram pra continuar o conto anterior? Seus lindos!

6 comentários

  1. Olá!
    Eu adorei escrever a minha carta. Me fez muito bem e estou amando ler as outras.
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Adorei sua carta, me identifiquei com algumas partes. Acho que você aconselhou direitinho a Fran de dez anos atrás :) E piano <3
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Sempre digo o mesmo nos comentários de quem fez essa carta: bom seria se a gente pudesse recebê-las, né?! Escrevendo, percebi o quanto eu amadureci, como muitas coisas eu deixaria de fazer e outras eu faria tudo de novo, do mesmo jeitinho, rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. É interessante e ao mesmo tempo surreal dar conselhos a si mesma com dez anos a menos. Mas por isso mesmo é que essa blogagem é tão interessante. Adorei a sua, até postei também. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. "Permita que ele saiba sobre todas as suas feridas, mas as cure sozinha. " :)
    Talvez os conselhos para a Fran de dez anos atrás sejam ótimo para a Fran de daqui a 10 anos. É sempre bom lembrar o que passamos, quem fomos e o que somos. Eu eu peço : sim, nunca pare de escrever. :) rs Por aqueles que ao lerem seus escritos lembrem de si mesmos e se sintam tocados também seja pela identificação direta ou pelos opostos, mas para além disso escreva por você! E outra coisa: não esquece que te amo! E acho engraçado com certos textos, certas palavras nos deixam tão orgulhosa por alguém, assim como estou por você agora- e numa fase cada vez mais crescente.

    Te amo.
    E sim, parece meio doido pela distancia mas eu vibro a cada avanço teu.
    Ultimamente tenho pensado bastante nisso: Tem coisa mais bonita que o desabrochar?
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  6. Todos esses textos tem me emocionado, sério! Me fizeram lembrar de uma menininha que andava tão adormecida, é estranho lembrar dos sonhos, dos objetivos e pensar em como eu mudei, como tudo mudou.
    Que tudo continue dando certo, com certeza a Fran de 10 anos atrás se orgulharia da Fran de hoje.
    Beijos.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.