Publicidade

das coisas sobre ser estagiária

17:04


Como eu comentei em algum post passado, comecei a trabalhar. Já faz dois meses e, olha, minha vida econômica mudou: preciso sempre lembrar de guardar dinheiro. Segundo meu pai, porque é sempre bom ter uma reserva. Segundo minha mãe, porque "como é que cê quer viajar se não tem dinheiro guardado?". Pro meu pai porque "fazer tudo em prestação é arrumar sarna pra se coçar, tô dizendo...". Pra minha mãe porque "vai que cê precisa de alguma coisa muito urgente? lembra quando as fontes do seu computador deram problema?". E, claro: porque dinheiro não dá em árvore.

E ainda tem os amigos. Porque "vamos no bar?", "vamos num show?", "vamos ao teatro?". E pra mim, porque quero viajar, quero ir pra São Paulo, quero comprar livros, quero fazer uns cursos e quero ir pra Campos em julho e quero dar presentes de aniversário.

Só que eu sou estagiária, por enquanto. Até tinha comentado com a Gabs que ia criar uma categoria chamada "vida de proletária" pra contar como eu me viro com minhas dilmas mensais. Especialmente porque, desses dois meses pra cá, aprendi uma coisa maravilhosa: a arte do orçamento.

Eu troquei de celular e comprei uma câmera e parcelei tudo, sabendo que vou pagar alguns órgãos por isso. Separei uns trocados pra por na poupança porque agora nada me impede de, de fato, planejar e embarcar numa viagem (e pretendo, todo mês, guardar no mínimo a mesma quantidade). Mas é como eu disse no twitter uma vez: tenho tantos planos pro meu salário que um salário não é o suficiente.

Gastei meus últimos trocados do mês passado comprando livros. Fiz uma pesquisa pelos sites que tinha cadastro (um monte) só pra ver qual ficava mais em conta (sim, isso soa muito mão de vaca). Aí me apresentaram o cuponation, site de cupons de descontos que eu agradeceria se tivesse conhecido antes - mas é aquela coisa, anotar na agenda pra lembrar de usar nas próximas compras.

Cupons de desconto: Julius aprova esse post!

Escrever um post assim me faz pensar quando foi que eu me tornei uma adulta responsável e interessada por economia (cof, cof) e que, na verdade, não me sinto nada adulta. Nem sei se sentirei um dia. Minha única certeza é que agora tenho uma renda pra alimentar o vício. E a estante.

4 comentários

  1. Hoje mesmo pensei sobre isso. Estagio desde o 2º semestre da faculdade e, desde então, sou eu quem pago o curso e banco minhas estripulias. Desde o começo tenho essa noção de me controlar e poupar. E isso até me deixa orgulhosa de mim mesma. Aos poucos vou adquirindo o que quero e colocando mais planos na ponta do lápis.

    Adoro esse tipo de post. :)

    Beijo e boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. Ai, saudades ter um emprego, saudades ter um salário, é bom gastar sem ter que dar satisfações né? Se planejar quietinha, porque só a gente sabe dos rolês, dos vícios, ai sis, tá certinho, acho que é nessas horas que a gente começa a se sentir um pouquinho mais adulta, mas só um pouquinho mesmo, porque logo aparece um livro novo na cultura e AI MEU DEUS PRECISO!

    Hahaha é bem isso.

    Beijos sis, amo-te ♥

    ResponderExcluir
  3. Estagio geralmente se ganha pouco então economizar é importante.
    http://versosebossa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Sei bem como é, Fran. Também sou estigiária. Mas a gente também pega prática nessas questões com o tempo. No primeiro mês nesse estágio novo (em que eu ganho bem mais do que ganhava no primeiro) fiquei no vermelho pela primeira (e última) vez na vida. Mas não paguei juros porque fiquei dentro do prazo do cheque especial. Não foi uma experiência legal, bateu um certo desespero.
    Depois daí foi uma ascendente constante - ficar no limite, sobrar um pouco, sobrar um pouco mais. Agora ganhei um aumento, meus olhos estão até brilhando. Resumo da ópera, estou conseguindo fazer uma poupancinha interessante.

    Estamos crescendo, né? Baixei até um app no celular para controlar finanças.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.