cotidianices

O que tem de ser tem muita força ou...

15:34


do dia mais importante do ano.
(Ou, ainda: Retrospectiva 2012 em um dia só)

(daqui)


Lidiane disse que sentiu falta de uma retrospectiva 2012 no meu blog. Eu nem ia dizer nada, nem ia falar nada, por N motivos. Nem retrospectiva literária (porque seria uma vergonha) nem nada. Nada, nada, nada. Aí eu comentei com a Marcelli que sugeriu "você poderia falar só sobre hoje. Só hoje".

Bang.

O meu hoje começou bem, bem cedinho. Começou de madrugada quando eu decidi ver O Fabuloso Destino de Amélie Poulain com minha irmã. "Não me deixa dormir, Bruna". Eu dormi, claro. Continuou quando eu acordei com SMS de uma amiga, me remetendo a um "Todo SMS é um pouco SOS" que li por aí. Pura verdade, sempre. Foi interrompido porque eu não conseguia responder mensagem pra outra operadora (pfvr @digaoi dê um jeito nisso e pare de me sabotar). Continuou as três: inalação por falta de miflasona. As quatro e seja lá o que for pra um "fiz sua carta (...) te acordei?".

Ah, a vida na madrugada!

E eu que nem queria tirar uma lição de vida desse ano, que não queria nada desse ano, a não ser minha sanidade e minha fé de volta, tô achando que a vida é isso: continuação. É lidar com o que for surgindo no caminho, o que vier pela frente. 

E lá pelas dez, acordei implorando por chá de camomila e com outra crise de ansiedade no caminho. Não por eu ser dessas, mas por eu estar dessas. Dá pra entender? E como os últimos dias andam regados de reflexões e identificações, hoje não poderia ser diferente.

Hoje eu ouvi que fiz a coisa certa e me senti satisfeita. Não por eu ter ouvido, mas porque pela primeira vez em meses eu também sinto que fiz a coisa certa. Se a vida é feita de ciclos, abandonemos então nossos monstros interiores que nos assombram (especialmente) nas madrugadas. E eu sei que é isso que eu tenho feito, que é pra isso que eu quero caminhar: quero cultivar as borboletas, não os monstros. Então, sim, eu fiz a coisa certa. 

Eu tive o retorno de energias muito, muito boas. De gente satisfeita ou agradecendo por eu estar ali de plantão, por eu estar ali, fazendo companhia. Não é que eu ache que eles tenham algo pra agradecer, mas é só que eu senti isso. Sabe? Daquelas situações que você não precisa de explicações, de discursos, de ♥ ♥ ♥ na sua linha do tempo? Só precisa sentir? Então, eu senti. Eu tenho sentido.

E então chegamos, finalmente, ao ansioso momento das metas para 2013. Eu não tenho. Eu não sei o que farei, eu não sei o que quero, eu não sei como farei as coisas que quero, eu não sei. Só vou entrar em 2013 sentindo uma estranha leveza dentro de mim e sabendo, lá no fundo, que quaisquer que deveriam ser meus planos, bem... Eu vou descobrir. Logo menos.

PS: E tá corrido assim porque eu escrevi num suspiro só. Porque acho que é assim que a gente tem que levar a vida, sem pensar demais.
PS2: Vou continuar espalhando ♥ na linha do tempo dos outros. Só queria registrar.

14 comentários

  1. Linda! 2013 vai ser lindo pra gente!

    ResponderExcluir
  2. Lindas palavras muito sinceras, simples e cheias de sentimento!
    Uma coisa é pura verdade: as metas, os planos, esses vão surgindo aos poucos, é preciso deixar rolar e viver um dia de cada vez.

    ResponderExcluir
  3. Agradeço muito pelos inúmeros <3 que você me mandou esse ano!
    E adorei ter te conhecido pessoalmente!
    Um beijo enorme!

    ResponderExcluir
  4. Menina, você tem uma oportunidade incrível nas mãos! Um ano novo sem metas pré-estabelecidas são 365 páginas em branco, pra você escrever do jeito que você escolher, a cada dia. Ou não escrever, sei lá. Não vejo mal algum em alguns dias só sentindo, sentindo MUITO, sem precisar contar nada do que sentiu pra ninguém nem escrever pra extravasar. Feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  5. Gostei da sua retrospectiva!
    Acho que no fundo o melhor da vida é isso: saber que fez a coisa certa!

    Espero que seu 2013 seja esplêndido!

    Um beijo,

    http://algumasobservacoes.blogspot.com/
    http://escritoshumanos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. E que a leveza dure o resto do ano, e não só essa virada. 2013 será ótimo, eu sei que sim.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Eu também não fiz metas para este ano. Acredita que tenho medo de fazê-las, depois não cumpri-las e ficar com a consciência pesada? haha E adorei o P.S., concordo que tem que ser num suspiro só mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Que cultivem as borboletas então!
    E que 2013 seja recheado de borboletas e de energias boas. E que eja um ótimo suspiro! :D
    Beijos, Fran.

    ResponderExcluir
  9. Não curto muito a vibe das retrospectivas. E não me permito a promessas. Iniciar o ano na base do desapego é bom. Muita leveza para você também. Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Que 2013 chegue num suspiro pra você, então. Que os planos nem cheguem como planos, mas já sendo concretizados, já dando frutos. Acho que estou me sentindo mais leve para 2013, uma sensação de que posso fazer mais, porém ao contrário de você eu fiz planos, fiz listas, porque eu não me controlo e preciso fazer sempre.

    ResponderExcluir
  11. Seguindo seu blog e amando :)
    Muito bom gosto...
    beijos www.cheiadigraca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Fran,

    na mesma que eu, você. Porque em 2012 eu tentei tanto e tanto me encontrar que quase me perdi e esqueci de mim. De 2012, eu só quero manter a sanidade, a sensação de dever cumprido.

    Desculpe pela ausência. Estou de volta, finalmente.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Ei, Fran!
    Que seu 2013 seja incrível, cheio de conquistas boas, leituras gostosas e textos legais :)
    Desculpa a demora hahaha
    Beijos <3

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.