.Resenha

O Diário de Anne Frank

14:29

Há muito tempo eu tinha vontade de ler O Diário de Anne Frank, mas nunca o encontrei na biblioteca daqui e nem conhecia alguém que tinha. Um pouco antes das férias, um colega me emprestou. Enrolei para ler, mas quando comecei, não queria parar mais.

Anne Frank foi uma garota judia que viveu o início de sua adolescência em pleno nazismo. É importante destacar que a veracidade do diário foi questionada por algum tempo, mas depois da investigação realizada pelo Instituto para Documentação de Guerra, ele foi dado como autêntico e publicado em sua totalidade, ou seja, incluindo partes que seu pai, Otto, pensou em censurar (segundo a Edição Integral d’O Diário de Anne Frank).

Quero destacar também que ela planejava em publicar seu diário, em ser escritora e se tornar jornalista. Além disso, ela produzia também algumas crônicas e contos, projetos que ela mesma menciona no diário, datado de 12 de junho de 1942 a 1 de agosto de 1944.

Como já dito, Anne era judia e passou sua adolescência no auge do nazismo. Sempre demonstrou ser uma menina esperta, crítica e extrovertida, embora se descrevesse como solitária. Em determinado momento, teve que se esconder com sua família (pai, mãe e irmã mais velha) em um anexo localizado no antigo prédio onde seu pai trabalhava, e dividiram o anexo com mais quatro pessoas: a família van Daan e o senhor Dussel. Todos eles recebiam ajuda de alguns amigos.

O que Anne conta no diário? Tudo. Seus sentimentos, desejos (inclusive sobre sua sexualidade), as brigas com seus pais ou com os outros moradores do Anexo Secreto, como se sentia quanto às críticas que recebia, falava sobre seus contos e sobre seus estudos (os idiomas, a idolatria por árvores genealógicas, famosos, mitologia, história - inclusive seus estudos sobre o Brasil) e o mais importante: ela falava sobre seus sonhos. Sobre quem queria se tornar, sobre o que queria ser e fazer quando a guerra acabasse.

No dia 4 de agosto de 1944 policiais invadiram o Anexo Secreto e levaram Anne, sua família e seus amigos. Seu pai foi o único sobrevivente. Anne e sua irmã passaram por Auschwitz e depois foram levadas para Bergen-Belsen, campo de concentração perto de Hannover (Alemanha). Morreram em decorrência de uma epidemia de tifo, em 1945.

Por que Anne Frank mexeu tanto comigo? Porque Anne Frank foi uma menina forte, corajosa e guerreira. Porque, apesar de tudo, tinha uma alma ingênua e doce. Era independente e queria ser ainda mais. Mas seus sonhos (tantos quanto temos eu e você) foram destruídos pelo egoísmo humano...

"E se não tiver talento para escrever livros ou artigos de jornal, sempre posso escrever para mim mesma. Mas quero conseguir mais do que isso (...) Preciso ter alguma coisa além de um marido e filhos a quem me dedicar! Não quero que minha vida tenha sido em vão, como a maioria das pessoas. Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo àquelas que jamais conheci. Quero continuar vivendo depois da morte! E é por isso que agradeço tanto a Deus por ter me dado este dom, que posso usar para me desenvolver e para exprimir tudo que existe dentro de mim!" - Anne Frank

Existiram muitos momentos do livro onde eu pensava o quanto queria poder abraçar essa menina, especialmente em trechos onde ela dizia querer fazer a diferença no mundo. Eu juro que você conseguiu, Anne.

21 comentários

  1. Teve uma época no colégio que todo o mundo começou a pegar esse livro na biblioteca pra ler. Eu não peguei e ainda me arrependo. Porque a minha vontade de ler só aumenta cada vez que alguém fala nele (tipo agora). Ainda lerei. Espero que logo.
    Beijo, Fran!

    ResponderExcluir
  2. Me arrepiei com sua resenha. Muito bom! Acredito que irás gostar de um outro livro, pelo heroísmo do sobrevivente, e pela situação semelhante a da Anne, «Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração», de Viktor Frankl. Mesmo dos episódios mais dificeis podemos tirar lições e uma vontade de viver sem antecedentes.

    ResponderExcluir
  3. Quero leeeer! Um dia lerei!
    Eu não sabia que existia todo esse sentimentalismo no livro, isso dela falar de sonhos. Que bonito!
    Sua resenha ficou muito linda, Franzi!

    Beijo <3

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei do livro, mas não foi fácil ler. Eu demorei MUITO TEMPO pra terminar. Segunda Guerra e nazismo mexem muito comigo. Mas eu recomendo esse livro. E o filme de 1959 também! É uma história incrível e não pode ser esquecida nunca. Também queria abraçar a Anne, embora eu tenha sentido raiva dela em alguns momentos haha

    ResponderExcluir
  5. Já li este livro e também "brisei" com as palavras desta Menina! As vezes é preciso um pouco de restrição pra poder valorizar a liberdade. Parabéns Fraaaaaaan!

    ResponderExcluir
  6. Ahhh,como eu amo esse livro !
    Imagine o que é terminar de ler o livro no avião e ficar contendo os choros e soluços ,porque eu realmente esperava que pelo menos o Peter sobreviveria :( Mas enfim,a Anne é uma garota muito,muito esperta e profunda,e o diário é cheio de reflexões que fazem o seu corpo dizer : é isso mesmo.Me surpreende a visão que ela tinha naquela idade e naquela época,e eu sofria muito com as brigas que ela tinha com a família e achava lindas as incertezas puras dela.Livros da Segunda Guerra sempre me fazem chorar,quando o Peter falou que se converteria ao Catolicismo quando a guerra acabasse foi de partir o coração.Eu não esperava ler um livro sobre O Holocausto tão bom quanto A menina que roubava livros (você já leu?) ,mas O diário de Anne é um dos meus livros favoritos.

    beijo

    ResponderExcluir
  7. Sempre só ouvi bons comentários a respeito desse livro, e sempre fiquei curiosa de o ler, mas nunca o li, mas com certeza ainda lerei. Amei o trecho do livro que vc escolheu pra colocar aqui no post. É lindo. Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Essa com certeza é uma leitura que eu recomendo em vários aspectos, nunca ouvi dizer de alguém que não tenha gostado de ler! É uma obra riquíssima :)

    Parabéns pela síntese, adorei a forma como expôs os fatos.

    Vc já leu o menino do pijama listrado? é muito bom também!

    ResponderExcluir
  9. Vamos parar e pensar numa menina de seus 14 anos, NOS ANOS 40, dizendo uma coisa dessas. O que ela não poderia ter sido?
    Ainda não li, mas vi um filme e a história mexeu muito comigo. É triste como a estupidez humana pode acabar com sonhos tão pessoais e ao mesmo tempo coisas tão grandiosas.
    Vou ler e lembrar de você!
    Beijo! <3

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito de diários de guerra, e te sugiro também a leitura de O Diário de Nina, escrito por Nina Lugovskaia, uma sobrevivente russa que escreve ainda melhor que Anne Frank. Anne Frank também torna-se significativa e rememorada no filme Escritores da Liberdade (se você ainda não viu, assista, pois é emocionante).
    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Esse foi um dos livros que comecei a ler quando tava mais novinha e não continuei lendo porque não entendia (Era nova, entendam UHEHUEUHE). Hoje to doidinha pra ler de novo e acho que vou pegar ele pra ler, ainda mais dps que li essa resenha *o* Curti muito.
    http://www.senhoritaliberdade.com/

    ResponderExcluir
  12. É um livro lindo, realmente. Impossível não se emocionar... Confesso que em algumas passagens eu duvidava um pouco que um garota de 13 pudesse ser tão desenvolta. Talvez porque é difícil de acreditar em como alguém pode amadureceu tão precocemente... quero dizer, ela escreve muito melhor do que muitas pessoas de 20 anos que eu conheço!
    Anne era uma menina especial, sem dúvida, e o livro merece o sucesso que faz em todo o mundo. Pena ela não ter desfrutado nem um pouquinho dessa aclamação.
    Ficou ótima sua resenha, bem completa!
    Beijos

    PS: Vou usar esse mesmo trecho pra colocar no tumblr, tudo bem? Acho que ele fala muito da menina por si só. :)

    ResponderExcluir
  13. Já ouví muito a respeito deste livro, mais lunca lí, mais pelo que você disse me interessou, vou ver se consigo achar para ler!
    http://fazdeconatxt.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Amooo a Anne Frank *_*
    Ela é tão mara
    Amei o que vc escreveu sobre ela e sobre o livro
    Fiquei com vontade de ler todinho
    Bjusss


    Flights and Dreams

    ResponderExcluir
  15. Ah, eu já ouvi tanto falar desse livro. Me sinto super tentada a ler esse livro, adoro a história dela, acho triste e inspiradora ao mesmo tempo!

    Adorei o trecho que postou aqui!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Tô curiosíssima pra ler esse livro. Até porque né, com essa vida que eu levo, acho que sou reencarnação dela hahaha Mas sério, eu amo histórias da segunda guerra, ainda mais quando tão verídicas!

    ResponderExcluir
  17. Ainda não tinha visto o novo visual do seu blog. Posso dizer? Ficou lindíssimo! Uma graça. :)

    Também li esse livro. É, de fato, uma história mais que tocante, emocionante, que segura o leitor até o final. Não dá para parar no meio.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  18. que blog lindo amor *-* Puxa, queria mesmo ler o livro, tenho o filme baixado no pc há algum tempo, mas não consegui ver ainda! Vou preparar uma super maratona de filmes para as minhas férias e com certeza irei incluir! :) Vou ver se consigo o livro tbm *-*

    ResponderExcluir
  19. diariamente.nele tem muitas coisas ruins , citando familia, amigos,pensamentos impuros,homicidios,tentativas de homicidios,traições e por aí vai.nem posso publicar esse livro , pq cada escrita está cada vez mais maligno, devido aos pensamentos e ações de pessoas ao meu redor e de mim mesmo.a coisas boas sim , mas existe muitas coisas ruins , até demais pra ser digerido.tenho coisas boas nele e coisas ruins que fiz ou pensei, ou fizeram pra mim , ou pensaram em fazer também, por isso não é bom pra pessoas lerem aquilo, não quero influenciar ninguém a o que fiz ou pensei de ruim.queria escrever só coisas boas , mas tenho que ser autêntico.anne frank , uma linda história , espero te encontrar um dia no paraíso. zeuthislove@hotmail.com

    ResponderExcluir
  20. diariamente.nele tem muitas coisas ruins , citando familia, amigos,pensamentos impuros,homicidios,tentativas de homicidios,traições e por aí vai.nem posso publicar esse livro , pq cada escrita está cada vez mais maligno, devido aos pensamentos e ações de pessoas ao meu redor e de mim mesmo.a coisas boas sim , mas existe muitas coisas ruins , até demais pra ser digerido.tenho coisas boas nele e coisas ruins que fiz ou pensei, ou fizeram pra mim , ou pensaram em fazer também, por isso não é bom pra pessoas lerem aquilo, não quero influenciar ninguém a o que fiz ou pensei de ruim.queria escrever só coisas boas , mas tenho que ser autêntico.anne frank , uma linda história , espero te encontrar um dia no paraíso. zeuthislove@hotmail.com

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.