Garotas que Dizem Ni

Impossível é não lembrar.

22:14

(daqui)

Gabi me deu um livro de aniversário, mas não me deu um livro qualquer. Ela me deu "Garotas que Dizem Ni - É impossível ler um só".

As Garotas que Dizem Ni entraram na minha vida há alguns anos, na época em que gostamos de dizer que a internet era diferente do que é hoje. Era um blog composto por três meninas(!) que escreviam muito bem sobre o que quer que fosse. Eu adorava lê-las. As Garotas que Dizem Ni não souberam da minha existência, mas eu sabia - e sei - da delas. As Garotas que Dizem Ni saíram da minha vida quando decidiram fechar o blog, mas deixaram pro mundo um livro. Elas voltaram pra minha vida no dia do meu aniversário.

Gabi me remete às Garotas. Ou vice-versa. Porque nesse mundão virtual de Deus, eu nunca achei ninguém que desse vida às minhas memórias. No meio da minha ressaca literária imensa, foi o único livro que eu consegui ler em menos de 24 horas, inteirinho, de ponta a ponta, inclusive os textos da orelha e contra-capa.

Gabi e GQDN se tornaram uma só pra mim a partir do momento que o carteiro tocou a campainha de casa e gritou "correio!". Ela sempre me lembrará essas três mulheres (e jornalistas!!!). As três jornalistas sempre me farão lembrar da Gabi.

E eu gosto da forma que certas coisas são. Como pequenas coisas fazem com que as pessoas se tornem infinitamente importantes, talvez mais ainda do que já eram. Não é, de forma alguma, por ser "um presente de aniversário". É pelo que algumas coisas representam. Eu tenho uma blusa do Pequeno Príncipe que faz eu me sentir segura, por exemplo. 

Eu assumo que gosto de ganhar coisas, nem que seja um origami ou uma cartinha. Gosto de saber que em algum momento alguém dedicou tempo e energia para fazer algo por/para mim. Da mesma forma que gosto de fazer algo pelas pessoas com quem me importo, pelas pessoas que me são especiais. Por essas e outras, eu adoro abraçar, por exemplo.

Não tem nada a ver com exigir presentes (materiais) ou coisas do tipo. Mas não é bonito, num daqueles dias onde tudo parece dar errado, ter por perto algo que te faça lembrar o quanto alguém pensou em você e o quanto essa pessoa provavelmente deseja que você sorria? Não é bonito, da mesma forma que alguém se lembra de você por algum motivo, lembrar-se de alguém que te quer bem?

Talvez seja esse sentimento que chamam de "vibrações positivas".

9 comentários

  1. Eu não lembro lá muito bem do Garotas que Dizem Ni, mas pra mim, elas e a Gabi também tão sempre juntas porque eu sempre ouço a Gabi falar delas. Ainda quero muito ler esse livro (eu devia ter roubado o seu! hahaha) e isso de você ter lido num dia só me deu mais vontade ainda. To precisando disso.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Que bela a história! Acho fantástico receber coisas que me levem a pensar que a pessoa pensou em mim e gastou energia em mim pelo menos uma vez, é muito legal, pena que não acontece frequentemente... Na maioria das vezes sou eu que gasto energia pelo mundo inteiro... não faço pensando no que receberei em troca, mas morro por um presente, elogio ou qualquer coisa assim de vez em quando, acho que todos morrem.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Preciso dizer, primeiro, que emocionei! HSAIUDUSIA
    Fiquei muito, muito, muito feliz que você gostou do livro! É um livro importante pra mim e coisa e tal.
    Agora, saber que GQDN te lembra a mim e vice-versa, me deixa mais feliz ainda! *-*
    Sempre quis conseguir escrever sobre GQDN, mas nunca saiu nada decente! :(

    Beijo, Franzis! <3

    ResponderExcluir
  4. Sempre que a Gabi fala do GQDN eu sinto um arrependimento enorme de não ter lido mais do blog na época que o conheci. Lembro que caí lá uma vez, achei muito bacana, mas acabei me esquecendo do link em algum lugar pra nunca mais.
    Achei bacana saber do livro, irei procurá-lo.
    E realmente, Fran, não existe nada como saber que tem gente pensando na gente em algum lugar, que para nem que seja pra catar uma pedrinha na rua só porque a mesma remete a algum momento bom. Carinho é bom e a gente não cansa. :)
    beijo

    ResponderExcluir
  5. que delícia de texto Sis!
    Acho magico essa coisa de uma lembrança pra cada pessoa, eu mesma tenho algumas e quando a saudade aperta - mesmo quando a pessoa ta pertinho - eu gosto de lembrar dessas coisas, da uma leveza na alma, um bom humor inexplicável...

    to encantada *---*

    ResponderExcluir
  6. Gabs sabe bem o que faz!
    Eu sempre fui partidária dos presentes feitos, porque eles dizem que você foi lá e pensou na pessoa, se esforçou pra dar algo que agrade. Demostra que você se importa, muito mais legal do que simplesmente comprar algo qualquer. Na verdade, o que importa num presente é o significado. O que aquela coisa quer dizer sobre a relação de vocês, sabe?
    Por isso que ainda não sei o que te dar. Sad. Too many options.
    Beijo, Franzita! <3

    ResponderExcluir
  7. Que bonito! Percebi você tão inocente lendo seu texto... Acho incrível o poder de algumas coisas, suficiente para nos remeter à pessoas, e o quão essas pessoas certamente nos marcaram, para, de vez em quando, nos visitar pela memória.

    Li sobre você e... poxa, você estuda jornalismo? Que delícia! Sou vestibulanda, logo chego lá, colega de profissão!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Me identifquei tanto quando vc falou sobre o valor das coisas que ganhamos...Eu penso bem assim sabe...É tão bom ver que alguem parou nem que seja um segundo dos eu dia para lembrar de nós e fazer questão de nos mostrar isso, com o presenta mais simples que seja.Sei lá...Receber uma atenção sincera é sempre aconch*rs
    Aliás estou em dívida com você, seu presente que não chega nunca.Mas promessa é promessa...Eu que não sou boa a funcionar com datas faço as coisas no impulso, no auge do que o coração mandar.rs
    te amo, flor.
    Beijoness!

    ResponderExcluir
  9. Eu lembro desse site! lembrei agora ao ler-te, mas sim era antigo hein.
    Adorei a indicação, vou procra-lo :)

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.