cotidianices

Não sou este tipo de garota

20:19


Podia começar esse post de várias maneiras. Podia começar contando do livro de mesmo nome, e dizer o quanto eu me identifiquei com alguns momentos confusos da personagem. Mas acabei de conversar uma amiga que me perguntou "Quem é a Franciellen?" e eu não soube responder. E também não me lembro do que eu era ou do que eu queria ser.

Não deve ser novidade o quanto eu estou desanimada ultimamente. E talvez frustrada comigo mesma porque há pouco atrás eu tinha mais disposição e achava que também tinha coragem (?) para fazer acontecer coisas que eu quero que aconteça. Nenhuma novidade ao contar que todos os dias, dezenas de ideias se passam pela minha cabeça. Várias coisas que eu queria concretizar e estão apenas na mente. E também me sinto culpada por não agir da forma com que aconselho uns e outros.

Não que essa seja eu, claro que não. Dia desses, por exemplo, falei com uma amiga sobre essa coisa de "autoestima" que anda me afetando um bocado. Ela me disse, sem anestesia ou conforto: "Você nunca ligou pra isso, você sempre ajudou todo mundo com isso. Para de graça!" E quinta-feira conheci uma menina da minha sala que me perguntou como posso ter problemas em relação a autoestima se sou capaz de cativar as pessoas em minutos.

Sinceramente, não sei. E condeno absolutamente meu comportamento quanto a isso. Não porque estou me acomodando, obviamente não é isso. Mas por ter deixado isso acontecer a tal ponto de não conseguir me encarar no espelho por muito tempo. Ao ponto de deixar de dizer/fazer uma coisa ou outra por medo de dar errado, de entenderem errado ou por não gostarem. É. É exatamente isso mesmo que você leu e que provavelmente vai querer "ter uma conversa séria comigo" (ou simplesmente me dar uns chacoalhões).

Você não pode controlar o que acontece com você, mas pode controlar a forma de reagir a isso.
Marni; You Again

Eu não sei se é fase, se é frescura, se acontece, não faço ideia. Sei que por enquanto tempo procurado coisas me façam com que eu me sinta melhor (e isso não significa observar pessoas em situações piores que a minha, sempre achei isso horrível. Significa apenas que tenho tentado me inspirar em pessoas tão humanas quanto eu). Tenho lido, ouvido músicas (Viciei completamente em Fucking Perfect), assistido a bons filmes. Tem ajudado. Mas de vez em quando tenho aquela sensação de que tá todo mundo recebendo coisas boas do universo, menos eu.

Deve ser um saco ler coisas assim tanto quanto é um saco se sentir perdida mesmo "entre amigos". Mas é como dizem: falar pode aliviar dores emocionais. Escrever também.

Quero dizer ao Universo que tá na hora de ele me enviar o que eu mereço, nem que seja uma visão mais clara do mundo. No fundo, lá dentro, eu sei quem é Franciellen e o que ela quer. Só preciso conseguir enxergá-la novamente.

8 comentários

  1. Own, Fran. Nossa conversa no grupo surgiu um post lindo. Me sinto assim também! Só que essas crises de identidade comigo são menos raras do que as crises por falta de amor. Sinto falta de alguém me abraçando, me ligando pra dizer que sentiu minha falta. Mas as coisas são assim, como disse Caio F. Abreu "Deus não demora, ele capricha". Coisas boas estão vindo para nós. Pode acreditar! Beijos linda.

    ResponderExcluir
  2. Engraçado como eu tantas outras pessoas conseguimos enxergar exatamente a Franciellen que tu tá procurado. Ela tá bem aí, na tua frente, tu só precisa abrir os olhos e perceber... (:

    Mas hey, quem sou eu pra falar alguma coisa? Nós duas estamos no mesmo barco <3

    Bjbj

    ResponderExcluir
  3. Olha, todos temos dessas fases. Todos. E a gente nunca faz tudo que gostaria. Sei lá. A vida é tão mais rápida que nós. Só não se cobre tanto. A gente às vezes exige muito de nós mesmos e nem percebemos. E nem sempre o modo como nos vemos é o modo como os outros nos veem. Relaxe, viva e faça o seu melhor. Somos a melhor edição de nós mesmos, como costumo dizer.

    bjs. fica bem!

    ResponderExcluir
  4. own,acho que era tudo que eu queria dizer.Estou num desânimo tão grande que eu nunca tinha sentido,algo como deixando pra lá até as coisas que eu faço questão.Me sinto uma estranha,tentando me readaptar ao que era,e com certeza melhor maneira de conseguir isso é desabafando.

    adorei,beijo.

    ResponderExcluir
  5. O destino só vai te dar o que você merece se você correr atrás disso tbm. Adorei a sapatilha da foto!
    Beijos!

    http://mahjestic.com/blog

    ResponderExcluir
  6. Sabe o que é pior de se sentir assim? Ninguém pode ajudar. #Fato Porque é algo tão interno, tão da gente, que todos que tentam ajudar só arranham a superfície. Mas é ótimo ter essa ajuda, elimina várias teorias.
    Claro que isso tem jeito, eu achei o meu e você achará o seu!

    Beijo Lollie.

    ResponderExcluir
  7. Vira e mexe eu me sinto assim, Fran, mas ajuda pensar sempre que coisas boas virão. E, olha, elas sempre acabam vindo, de um jeito ou de outro. Isso é fase, fica tranquila que vai passar, linda =) <3

    ResponderExcluir
  8. Eu ia começar falando que todo mundo se sente assim às vezes, mas sei lá, acho que só as pessoas que acreditam profundamente que a vida guarda uma coisa mágica pra elas se sentem assim. E eu também. Tenho tentado não esperar demais da vida. Não que eu esteja desacreditando dela, é só que eu acho que é melhor não deixar o tempo passar e guardar a felicidade pra depois. Acredita, Fran, mas vai lá fora olhar o sol enquanto isso. :* <3

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.