Comportamento

Relacionamentos, Agrados & Comportamento.

13:57

Ou: Dinheiro e relacionamentos.
Ou, ainda: Meu problema com jogos de conquistas.


Dia desses comentei com uma amiga (e com um amigo) o quanto esses jogos de conquista me cansam. Essa coisa de "não faça isso, não diga isso, não demonstre aquilo, não dê no primeiro encontro, tenha dinheiro pra sustentar essa mulher" simplesmente me desgasta. Geralmente isso me irrita mais do que deveria, já que eu tenho tendência a discutir as coisas (e uma vez que já ouvi coisas assim de gente muito próxima em relação a mim), mas decidi apenas me poupar, daqui pra frente. Enfim.

Ontem vi um tweet que resumia muito bem o que eu penso sobre a questão "Se você é homem, tem que ter dinheiro pra bancá-la" ou "Mulher só quer saber de dinheiro". Posso pedir autorização pra postá-lo na íntegra aqui no blog, mas enquanto isso, ele dizia basicamente que homem que tem esse pensamento é um completo babaca porque nós temos nosso dinheiro e não dependemos de cara nenhum (a não ser que esse cara seja nosso pai, mas né) e que sim, gostamos de dinheiro. E é exatamente por isso que trabalhamos/trabalharemos para ter o nosso. Até porque, na minha cabeça, eu só vou me orgulhar das coisas que tenho porque eu as conquistei. E isso não cabe ao "eu conquistei um cara podre de ryco" porque você o conquistou, mas não conquistou o dinheiro dele (nem se ele for filhinho de papai e menos ainda se ele for uma pessoa esforçada e independente).

Nessas idas e vindas comentei com outro amigo e amiga que me sinto deslocada toda vez que leio algo como "conquiste uma mulher com presentes, flores, jantares, bládibládiblá". Não sei, posso estar realmente sendo muito radical, mas pra mim isso se chama comprar, não conquistar. No meu caso, especialmente, porque detestaria ganhar flores (me condenem), entre outros detalhes.

E é isso. Acho patético um cara que acha que pra ter um relacionamento precisa mesmo é ter dinheiro, porque é isso que atrai, isso que mulher gosta, porque mulher é tudo interesseira. Devo ter repetido pra alguns conhecidos exatamente isso: meninos, não faço idééééia (cheia de acentos pra dar ênfase) que tipo de mulheres vocês estão conhecendo. Umas dondocas, como diz minha amiga de faculdade. Mimadas, talvez. Acomodadas, muito provavelmente. E gente assim, pra mim, não merece meu respeito. Os machistas e as filhinhas do papai.

Tá. Nem sei se devo realmente chamá-los de machistas porque é um pensamento puramente infantil e um azar danado atrair gente que não tem a mínima perspectiva de vida, planos para o futuro, etc Mas fico puta quando leio esses comentários imbecis que, óbvio, generalizam até os extremos.

Se por um lado acho desprezível (quase tenho ojeriza) um garoto se comportar assim, por outro lado acho lamentável uma mulher aproveitadora. Acho ridículo que exista uma minoria de garotas que se aproveitam, sugam, e manipulam uns e outros. Sério. Porque veja bem: se você tá ficando, saindo ou namorando alguém, isso não faz com que o cara assine um atestado dizendo que é seu pai e responsável a partir de então. Não o obriga a pagar suas contas, o que você gasta no shopping, no restaurante, no cinema e não o obriga a te dar presentes caros (nem a te dar presentes já que, pra mim, presentear tem que ser um ato de carinho, não de obrigação). Eu adoro presentear e ser presenteada, mas nenhuma dessas duas vias foi ou será por dever. Porque, me diga: existe alguma garota que ia gostar de ficar bancando o paquera? Logo, porque o contrário deve acontecer?

Eu entendo que uma vez ou outra aconteça atos de gentileza. Pagar um sorvete um dia, dar uma lembrancinha no outro... Mas como eu disse, são atos de gentileza e devem gerar gentileza. Ou seja, reciprocidade. Ou seja: agir com o outro como você gostaria que agissem com você.

Mas veja bem: eu sou o tipo de garota que não gostaria de ganhar flores ou sair pra jantar e que prefiro pagar a minha parte do gasto todo. Porque se eu aceitei sair sabendo que ia gastar eu tenho que, no mínimo, me garantir. Simples assim. Se eu não tenho dinheiro que façamos um programa gratuito. O SESC sempre tem apresentações de graça, a OSESP, se não me engano, tem um dia de ensaio aberto por mês, toda cidade tem uma programação cultural mensal e na falta de tudo isso, você pode alugar ou baixar um filme... Especialmente no frio.

Lembro que ano passado uma colega estava quase desistindo de ficar com um cara porque ele não pagava o cinema pra ela. Tínhamos 17 anos e eu não tenho certeza se a idade dele era essa ou ele era um ano mais novo. Eu não via sentido algum, especialmente porque eles se gostavam e se davam bem. Mas ele não pagava o cinema pra ela. Sabe-se lá pelo que ele passava... (Embora isso não signifique nada, já que ele apenas não tem essa obrigação com ninguém).

Já ouvi de uns amigos mais próximos, bem como de conhecidos na faculdade (ao menos pra conversar servem as aulas que a coordenadora junta 150 pessoas numa sala só) que eles "não saiam com fulana porque ela gasta demais" ou que a namorada deles "só quer fazer passeios caros". Isso é, pra mim, falta de vergonha na cara. Simples assim.

E pelo amor de Deus, parem - e eu disse PAREM - de generalizar, usar essa minoria como desculpa pra fugir do mundo todo. Se vocês não concordam, simplesmente procurem alguém com mais caráter. Porque, no fundo, tudo se resume a isso. Eu não sou assim e conheço um bom número de meninas que também não são.

Tudo isso pode parecer um discurso independente, radical ou até mesmo hipócrita, mas confie em mim: não é. Eu realmente penso tudo isso e realmente busco viver tudo isso. Não vou dar trabalho pra ninguém porque pra cuidar de mim nos meus momentos desempregada tenho meus pais (não que eu os explore, mas vocês entenderam...) e minhas economias.

Continuando. Acredito piamente que todo mundo aqui tenha condição pra sair pra bar ou balada tanto quanto para trabalhar, se sustentar e ter uma vida própria, sem precisar usar outra pessoa como apoio/encosto/muleta. Acredito sinceramente que todos esses que estão às custas do outro podem criar sua independência. Desde pequena, aprendi com meu pai que eu jamais deveria depender de ninguém. Óbvio que aprendi numa situação menor (quando uma amiga queria que eu saísse com ela e dizia: eu peço pra minha mãe falar com seu pai...), mas isso vale pra todas as áreas da minha vida. Sempre ouvi que meus problemas eu devia resolver sozinha. E quanto ao dinheiro... Sempre soube que devemos dar valor apenas ao que nós conquistamos (e vivi isso quando tive meu primeiro trabalho).

Isso tudo é questão de reflexão e consciência. O que o outro conquistou é dele e apenas dele, eu simplesmente não tenho o direito de me aproveitar disso. Bem como o que eu conquistei, é apenas meu. Ninguém é obrigado a aguentar aproveitadores ou sanguessugas (palavra preferida do meu pai) na vida.



*dedicado e inspirado nas minhas conversas com Renan, o melhor amigo mais revolts que eu tenho.

8 comentários

  1. na boa
    acho que ter carro dinheiro ajuda e atrai muitas mulheres
    a sensação de estar com alguem de poder
    mulher diz que gosta de principe homem legal romantico
    na verdade quando elas acham alguem assim nems abem o que fazer
    mas seu texto é muito bom li tudo com interesse, e embora cada caso seja um caso há coisas que parecem regras
    as mulheres andam futeis, tanto quanto os homens e isso é mal
    abraços^^

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente meu bem o que mais existe por ai é mulher interesseira, claro que existe excessões. As mulheres lutam tanto por independência, mas ainda querem depender financeiramente de homens -algumas é claro- muito bom o texto!
    Bjos ;*

    ResponderExcluir
  3. Pois é, concordo absolutamente com tudo o que vc disse desde que tinha uns 15, 16 anos, mas a realidade é mais complicada e econtra gente que pense como nós é raro. Acho até que encontrei mais gente legal que a média, mas ainda assim não consegui escapara de topar com gente interesseira :-S Mas sei que isso é uma questão de cárater e não de gênero.

    ResponderExcluir
  4. Olá *_*
    Encontrei seu blog e me amarrei nele, tem um jeito irreverente de abordar um texto, com atitude e personalidade. Curti muito e já estou te seguindo!
    BEIJOS

    ResponderExcluir
  5. Acho que esses pensamentos estão mexendo mto com a gente, né? Esse monte de listas tem feito efeito contrário: estamos seguindo mais quem somos. Sem listas. Só de raiva.

    Amei!
    Amo!


    Beeeeeeeeeeeijo.

    ResponderExcluir
  6. O que quebra é a maldita carência, nesse mundo de altas conexões onde se está próximo do mundo inteiro mas fisicamente de poucos, percebo cada vez mais essa necessidade insana de ter alguém como suporte mesmo.Conheço mulheres que não cosneguem ficar sozinhas, saem de um relacionamento ja partem pra outra, terminam ficam arrasadas mas passam dias, semanas já estão envolvidas com outro.Nem sempre é uma mera questão de promiscuidade o que eu tenho mais visto é carência, é não saber ficar sozinho, não se conhecer e gostar de si mesmo a ponto de não precisar de ter ninguém ali te bajulando e sendo uma falsa fortaleza.Pq no fundo só podemos contar com nós mesmos, pq nem todos os problemas nós vamos querer compartilhar e muito menos vão nos entender.Não sei se as pessoas só se abrem no mundo virtual ese isolam no real, ou se elas distorcem a realidade para manterem um posição de frágeis, de dependentes emocionalmente de alguém por que é bonitinho dizer: eu preciso de você.*_*
    Aliás sabe o que me irrita? Música de amor que mostram nitidamente essa dependência totalmente insana, e até possividade que surge como consequência, e todos cantam achando lindo pq é aquela coisa bem melodramatica e não percebem o quão duentia é essa relação.GALERA VAMOS VIVER A REALIDADE, VAMOS APRENDER UM POUCO MAIS SOBRE NÓS MESMOS PARA NÃO NOS DESCARTARMOS SIMPLESMENTE PARA OUTRO NOS CATAR E CUIDAR DAQUILO QUE NÃO NOS DISPUSEMOS A FAZER, QUE É VALORIZAR E CUIDAR DE SI MESMOS.

    Palavras de uma mulher apaixonada, que a cada dia mais reconhece que encontrou o amor mas sempre foi muito feliz consigo mesma, acho que é por isso que sou tão feliz com outra pessoa.
    Te amo muito frô .
    =)
    Beijones.

    ResponderExcluir
  7. Ps.:Amiga vc tem que parar com isso, sempre entro na vibe do post e acabo me expondo de mais, falando d emais. Coitada de você.=T
    haha

    ResponderExcluir
  8. Esses joguinhos me irritam, sabe? Principalmente pela quantidade de preconceitos que reproduzem.

    (www.caixinhadeopinioes.zip.net0

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.