cotidianices

(se) me deixa ou (se) me põe no peito

20:59

Estação da Luz, fotografia por: Franciellen Carneiro

Não me lembrava mais dessa foto, que tirei ano passado enquanto passava o tempo na Luz. Fui "achá-la" hoje, enquanto procurava uma imagem do piano da estação para enviar a Carol Hermanas. Havia esquecido a foto mas ao encontrá-la, imediatamente lembrei do que ver essa cena me fez sentir. O menininho não saia de perto do piano enquanto esse senhor tocava. Até que em algum momento, parou de tocar. Chamou o menino, segurou suas mãozinhas e fez com que ele tocasse algumas notas. Lembro-me vagamente de ouvi-lo dizer ao menino palavras de incentivo, coisas como "você é bom, garoto!" e depois "viu só? você também pode fazer isso". O menino correu para sua mãe e dentro de mim, morri de vontade de aplaudi-lo. Digno de filme, eu diria.

Achei tudo simplesmente encantador. E não somente pelo fato de uma criança ser incentivada desse jeito e de ter enchido de graça o dia de alguns paulistas e paulistanos. Mas particularmente, vi um encanto especial na forma com que todas aquelas pessoas sabiam o que dizer a uma criança. E eu gosto de acreditar que, no futuro, isso terá sido uma influência positiva a vida dele.

O menininho me fez lembrar muito do meu primeiro ano quando fiquei de recuperação final em matemática (pois é, gente). Lembro de ouvir meu professor dizendo que eu conseguiria, pois era esforçada... Enquanto meu pai achou que eu devia estar aprontando alguma coisa pra ter "chegado a esse ponto". Mas me senti perfeitamente bem com o estímulo do professor.

Eu já devo ter dito inúmeras vezes o quanto me sinto mal comigo mesma em determinadas situações. Como todo ser humano, óbvio, também sinto falta de agrados, desses pequenos estímulos, dessas coisinhas cotidianas. Pode parecer frescura para alguns ou talvez, uma atitude infantil... Mas quem nesse mundo não gosta de se sentir querido? Quem nesse mundo não queria alguém que segurasse sua mão de vez em quando e o lembrasse do quando você é capaz de algo? Quem nesse mundo não gosta que, às vezes, alguém te lembre o que você tem de importante ou especial em si mesmo? Quem nesse mundo não precisa desse tipo de coisa, por capricho, vaidade, curar um ego ferido ou, simplesmente lembrar que ainda é, de alguma forma, interessante?

Lamento se soar piegas, infantil ou uma tentativa por atenção. Só sinto necessidade de saber se ainda tenho o (talvez) dom de cativar alguém.

3 comentários

  1. Meu amor, lindo texto!
    "Mas quem nesse mundo não gosta de se sentir querido? Quem nesse mundo não queria alguém que segurasse sua mão de vez em quando e o lembrasse do quanto você é capaz de algo?" [me colocou pra digitar tudo, né? rs] Bom, eu gosto e não te acho piegas por querer isso. Todo mundo gosta, por mais torrão que se mostre ser.
    E você é sim capaz de cativar, encantar a todos a sua volta, acredite nisso e será. O mais importante você tem: o amor de Deus ;)

    ;*

    ResponderExcluir
  2. A beleza está nas coisas mais simples... E, justamente por isso é tão difícil alguém se julgar feliz, pq procuram isso no sublime e no material.

    ResponderExcluir
  3. Realmente isso é tão bom, nada melhor do que alguém te dizendo que você pode. Mas ai vai um conselho: se ninguém te disser isso, diga a você mesma, você é capaz.
    Bjos ;*

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.