crônicas e contos

blasé seletivo.

15:25

"Tão arrogantes: quem tem, afinal, o poder de salvar o outro de seus próprios abismos?"
(Caio F. Abreu)
Sim, essa sou eu!
(não me lembro o tumblr de onde tirei, sorry)


Sem querer assustá-los, devo ser a maior praticante de cutting que conhecerão na vida. Isso não quer dizer que eu corto meus pulsos, coxas, tornozelos e sabe-se lá que lugares mais. Quer dizer que penso, inconscientemente, que pratico algo como automutilação emocional. Uma forma mais bem elaborada do masoquismo musical. Faz parte...

O círculo vicioso começa com o apego pela sensação que alguém me transmite, até o último fio de esperança > tenho noção, obviamente, que todos carregam pequenos defeitos, essenciais > alguma coisa começa a sair de sincronia, e essa coisa cria nós na minha garganta e esmaga meus órgãos > passamos por cima disso > o penúltimo e o último passo se repetem > de novo > novamente > outra vez > chegamos a um acordo onde eu tenho certeza que ouço um "certo, eu preciso mesmo tentar mudar". Infelizmente eu acredito. Acredito que tudo que foi dito por todos fez efeitos.

Tudo bem ser estúpida, certo? Quem é que nunca teve uma ilusão?

Daí as coisas se arrastam desse jeito. Tudo bem, eu sei que também sou o tipo de pessoa difícil de lidar, de ler, de aprender. Que sou extremista. Mas nutro relações intensas dentro de mim que me faria, tal como Caio F, construir qualquer coisa para fazer alguém ficar. Até um castelo.

Como eu dizia: as coisas vão se arrastando, eu vou me arrastando, ingênua: acreditando. Achando que posso me salvar desse abismo pelas mãos de outra pessoa. Acreditando em mudanças que não chegarão. Simples assim.

Como em uma passagem de Madame Bovary, contando meus problemas e paranoias, simplificando: "gosta de arrancar as próprias penas apenas para ver aonde dói. Gosta de se cutucar para ver aonde sangra, aonde incomoda". Como se eu quisesse, de alguma forma, testar meus limites.

Fácil seria praticar o desapego, eu sei. E acreditem se quiser, isso era tão mais familiar pra mim há pouco tempo. Mas a teimosia não permite. Sei lá. Esses traumas de perder gente pelo caminho vezenquando fortalece e dói. Esses “déjà-vus" que chegam com frequência desgastam tanto (quem sente, quem [me] ouve) que "sei lá" vira a expressão definitiva da vez. Aquela coisa ridícula de sentir falta de quem tá assim, do lado. Sinal de que algo vai mal.

"Parar de questionar", foi o conselho mais sábio de um amigo mais sábio ainda. "Isso piora tudo".

Não sei se é possível entender minha enorme vontade de julho, de amigos, de ruas paulistanas, da distração, de não mais "ter que" me arrastar.

Falta eu já sinto o suficiente de mim mesma.

Porque se for para livrar de alguém de algum abismo, faço eu mesma por mim. E recupero-me, tal como deve ser.

E já sem lirismo algum, aviso: lembre-se que eu nunca desligo o celular.

13 comentários

  1. Antes deu dizer que o texto está extremamente bom tenho que comentar, sua escrita é maravilhosa, não digo da falta de erro e blá blá blá, falo da sua forma de escrever mesmo, prende o leitor, isso é bom. Agora o texto, um texto fácil de se ler e de se gostar, acho que você também estou precisando de julho, amigos, ferias e mimimi, rs. Mas não para de questiona não, querida, questione cada vez mais (;

    ResponderExcluir
  2. Sem graça seria a minha vida sem meus questionamentos. Está certa menina, não pare de questionar não.

    ResponderExcluir
  3. E é isso..
    Eu acho que eu sei o que vc tá falando; é por isso que eu sempre digo vc escreve o que eu sinto..! Eu também sou sentimental e teve uma coisa que vc falou que diz tudo o que eu tô sentindo. "Quando se sente falta de lguém que está do seu lado e sinal de que algo vai mal."
    Bjos ;*

    ResponderExcluir
  4. Oi, passando aqui pra conhecer seu blog. Vou seguir, ok?

    Uau, vc realmente é muito apegada...
    Você disse que construiria um castelo para manter alguém perto de você... sabe que isso é realmente necesserário? Bom, é uma história um pouco longa, mas que eu gostaria de explicar numa outra vez. É que as vezes nós nos deixamos nos levar demais pelo sentimento, achando que fazer diferente pode ser difícil demais, mas até mesmo nosso coração deve ser guiado, mesmo que na hora pareça difícil, o que virá será bem mais compensador.

    bem, gostaria que você conhecesse meu blog tbm( que agora passará por mudanças)

    Beijos, ótima semana.

    ResponderExcluir
  5. Não é à toa que fiz um layout com frases do Caio Fernando. Ele tem falado por mim antes mesmo de eu imaginar que era exatamente o que eu precisava dizer.

    Em relação ao desapego acho que no fundo ninguém tem esse dom. As pessoas tem essa necessidade de se apegar, de ser marcada e marcar a vida de alguém. A diferença é como reagimos quando saem de nossas vidas. É como tentar tirar uma tatuagem com álcool, pegar uma faca e raspar a pele, ou até mesmo tentar tirá-la de alguma forma... Não sai.
    A questão é, se sentir ligada às pessoas não quer dizer que você seja ridícula, mas que você tem muitos sentimentos bons para compartilhar com quem simplesmente não quer se tatuar..

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olha, por mais que digam que o desapego é bom, psicologicamente não é. É como se a pessoa colocasse uma barreira entre ela e as pessoas. Resultado? Não dá para se ter amizade ou o amor de alguém desse jeito, e as pessoas não se importam com você.
    Eu também já fui muito apegada, sabe? Mas então, só me apego a pessoas que me fazem bem, e se me fizerem mal, eu simplesmente não me incomodo dela sair da minha vida. É tipo isso.
    Beeijo, Fraan.

    ResponderExcluir
  7. Eu estava ouvindo uma entrevista de um psicólogo em que ele dizia: "Se você está só, não se preocupe, é apenas uma fase."

    Sei que você não está falando de relacionamento amoroso ou, talvez, não apenas dele. Você está falando de relacionamento humano amplamente, permeando suas próprias impressões, seus próprios sentimentos, seus próprios conceitos.
    A fase que o psicólogo fala, aqui, se encaixa no aspecto de que, às vezes, precisamos que certas relações estanquem para que possamos cuidar de nós mesmos.
    O fato de você mencionar o 'certo, eu preciso mesmo tentar mudar' é que, deixa claro o quanto nós, seres humanos, precisamos aceitar ou outros como são. E, também, nós mesmos.
    É difícil, às vezes, termos a noção de onde dói, e porque dói. Por isso, muitos, acabam se confundindo e trocando o 'pé pelas mãos', fazendo besteira, e acabam, até mesmo, mendigando, qualquer, carinho.
    Testar os próprios limites, em minha opinião, é uma forma certa de se tentar crescer e amadurecer, também.
    Ser desapegado é que não. Já tentei uma vez, mas é difícil, demais. Porque, querendo ou não, nos apegamos as pessoas. Sejam elas as melhores ou as piores.

    Meu beijo!

    ResponderExcluir
  8. Se questionar é tão legal.Mas a minha mãe ás vezes manda eu parar de pensar,HAHAHAH :P
    Mas acho que faz parte querermos saber porque aquela pessoas faz taaanta falta,ou por qualquer outro motivo amoroso que nos faz pensar.Afinal, o amor juntamente com a vida são extremamente complicados,não é mesmo?
    E as respostas? Bom,elas estão escondidas no meio do caminho que seguimos - como diria NxZero.HAHAHA *_*


    beeijão <3

    ResponderExcluir
  9. É, eu também nunca desligo o celular XD
    gostei do post, sempre me questiono, nunca paro de pensar, é irritante às vezes... mas faz parte né? e às vezes é bom também... (é, ficou confuso, eu sei)
    BJão =^.^=

    ResponderExcluir
  10. Gostamos muito daqui. Blog bem aconchegante *-* Já estamos seguindo, viu? Parabéns
    Quando puder visite e siga o nosso?
    http://allstargt.blogspot.com
    Lá tu encontras desde humor até cartas de amor... ♥
    Acabamos de fechar parceria. Logo logo, tem sorteio. Confira!


    Com carinho, Gladimir e Tainara
    @gladimir_taii

    ResponderExcluir
  11. Esse texto, sei lá, sabe, às vezes penso que as pessoas diferentes, são um pouco "iguais" em um todo.
    "Fácil seria praticar o desapego,eu sei." - E como sei... tou querendo deixar essa menina fria fora de mim, pra poder pelo menos toda noite meu telefone tocar pra meus amigos falar que tem saudade de mim,rs...
    Gostei muito do texto *-*

    ResponderExcluir
  12. Gostei bastante do Blog.
    Muito interessante !

    É bom ver a cada dia que passa mais originalidade nessa "blogosfera". :)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir..;
    http://bolgdoano.blogspot.com/

    Muito Obrigada, desde já !

    ResponderExcluir
  13. Ou as pessoas nos mutilam emocionalmente ou nós mesmos, ai é um horror.
    Boa sorte, beeijos !

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.