crônicas e contos

descriminalizando meu eu.

16:54

Hoje eu queria alguém que me dissesse que eu não precisava me preocupar.
-caio f abreu 
Eu sou dessas. Deve ser estranho quando se conhece alguém, ouvir tal declaração. Mas eu sou dessas. Que você não vai encontrar numa balada, que vai falar sobre uma infinidade de livros e que vai sentir o mundo acabar quando sente medo. E eu sinto isso, agora. Medo, digo. Sei lá, você não sente? Pode ser fase, crise, frescura, posição da lua, sol em Vênus, tanto faz. Mas às vezes eu sinto algo tão estranho assim como... Você não sente? Você nunca teve medo de perder ninguém? Pois eu tenho. E acredito que esse é um dos grandes, senão o maior defeito de quem vive sentindo, querendo sentir, precisando sentir... Eu até tenho a sensação, vezenquando, que a culpa é minha, que eu errei, que deixei de ser interessante, que fiz algo muito, muito feio. Carrego todo o peso sozinha. Tento fazer o que me aconselham: tento falar. Mas não dá, sabe? E eu percebo isso toda vez que noto que eu queria dizer "não, não é isso. Não é disso que eu tô falando". Mas só digo um "deixa pra lá". Ou nem digo nada. Seria terrível dizer algo que piorasse essa coisa cabeluda, pesada e monstruosa que tá acontecendo. Eu queria contar tantas histórias, queria saber que essa falta que sinto é recíproca. Só queria saber, uma vez, queria ter certeza. Eu queria também não me perder, não fazer mais escolhas erradas. São tantos ombros, tantas vozes sussurrando histórias para que eu me distraia. Às vezes aparece tanta gente nessa vida, oferecendo coisas (carinhos, consolos, colo...) que a gente se perde. Mas eu tenho mantido certa distância emocional. Eu não quero errar de novo, já disse? Pois é. Porque eu acho tão bonito quando te identifico em algo que vejo, que leio, que ouço... Acho tão bonito, algo como entre o doce e o leve, essa vontade de contar que pensei em você. E eu não nego esse meu egoísmo imenso: eu queria que você se lembrasse de mim. Só assim, o suficiente pra matar o monstro do pântano que habita em mim.  O suficiente pra tudo voltar ao normal, sabe? Pra eu poder te olhar daquele jeito como quem diz eu-seu-o-que-você-tá-pensando. Mas eu não posso, porque sinto que estou te invadindo. E nem sei mais se sei o que você pensa. Também não sei se quero saber o que você pensa. Por culpa do maldito medo, desse medo imenso, do tamanho da importância que você tem pra mim. Mas a gente tem dessas, né? Emoções, bichinhos estranhos que nos corroem o estômago e nos dá aquela sensação terrível de vertigem. Sei lá. e é isso que eu venho repetindo: sei lá. Porque não sei mesmo. E eu me preocupo tanto com essas coisas banais, e eu faço tanto drama, não? É o que disseram, um dia. "Tanto drama, menina". Eu sinto muito, eu realmente sinto muito. Mas intensidade é coisa que a gente não controla. Que nem sentimento, essa coisa que sai não sei de onde. Não é culpa minha se eu não sei ser assim contida, assim recatada. E no fundo, eu confesso: resisto e não mudo. Porque é errado ir contra nossa natureza. Não me trate como se eu fosse alguma criminosa ou algo do tipo. Acredite meu bem, não ataco a ninguém com isso, só a mim. Então, diz pra mim, só me dá um sinal de que tudo está como sempre foi... Que são só os dias frios e cinzentos, que tá tudo bem. Me faz rir de novo. E me lembra, por favor, que a gente amanhece e os pesadelos acabam. E a luz que precisamos entra pelas frestas da janela. E revigora.


ao som de: The Story Of Us - Taylor Swift.

ps: qualquer semelhança com fatos reais serão considerados meramente coincidência. apesar de.

6 comentários

  1. Que profundo. Me identifiquei demais, principalmente com o final. :~
    Ps: Essa música da Taylor é sensacional, né? Parece que essa menina sempre tem uma música pra cada momento das vidas das meninas ao redor do mundo, não tem como! haha

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, meu bem, bem-vinda ao meu mundo.
    eu já disse isso,né? pra você ver como o sentimentos é verdadeiro. ;(

    ResponderExcluir
  3. Preciso disso e como preciso.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Amiga senti como se eu tivesse escrito. Me identifiquei horrores com o que tu escreveu aí! Saudade daqui e de vc, viu?
    BJo, te adoro de montão!

    ResponderExcluir
  5. Todo mundo sente, mas alguns não gostam muito de demonstrar isso. QUe pena

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.