crônicas e contos

; Nós

15:02

- Sua mente, naquele momento, já não se fazia presente. Também já não haveria como encontrá-la; estava em algum lugar, divagando. Aquelas palavras ecoavam em sua mente. Era como um nó. Todas aquelas coisas deixavam-na confusa. De fato, era como um dia cinza, e ainda assim, o homem do tempo afirmasse a provável não aparição da chuva e ela apostasse no inverso. A tempestade dentro de si vencia a eficácia de seu guarda-chuva. Não era assim que devia se sentir. A tempestade cessaria. Havia tomado a decisão de encará-la. E havia tomado a decisão de continuar enfrentando-a. Possuía a solução para seu suposto problema e, lá no fundo, sabia que tudo isso aconteceria, cedo ou tarde. Possuía a solução, mas emudecia quando outra seqüência de interrogativos chegava. Aquele conjunto de frases dava nós em sua mente. A idéia de igualar aquele pronome pessoal em primeira pessoa do plural do caso reto a um sentimento lhe dava a estranha sensação de felicidade. Algo que ela não sabia de onde vinha ou como surgia. Seu pensamento, naquele momento, já não se fazia presente. Estava naquela primeira pessoa dos pronomes pessoais. No plural. O do caso reto.



--


E gostaria também, de deixar aqui o link do blog de um ótimo amigo, Átila Siqueira, que está com um livro muito bom, e com uma ótima história: Vale dos Elfos. Sim, vale a pena e está super-recomendado por mim! :D

9 comentários

  1. 1ª! Huahuahauhauhauhauha

    ¨) Nunk paro de me surpreender com seus textos que tocam agente!

    Vlw pela visita e, pode deixar que eu compro seu livro, sim! ;)

    Achei que já tava na hora de fazer algo mais eficaz para ajudar o meio ambiente! :D

    Vou ler esse "Vale dos Elfos"! Se vc está indicando... é bom!
    rsrsrsrsrs
    bjinhos, Pinz

    ResponderExcluir
  2. haja gramática! rs*

    beijos, doçura

    MM.

    ResponderExcluir
  3. Lindo *-*
    Explicar tal sentimento tão bem e gramaticamente é deificil e você fez isso de uma forma tão simples e bonita, mais um motivo para eu não para de visitar seu blog *.*
    Te linkei também!
    Beijocas :*

    ResponderExcluir
  4. nós: eu e você: um nó?

    sim sim.
    concordo plenamente (:

    ResponderExcluir
  5. Sabe.. com uma amiga como você por perto é realmente um desafio para mim escrever. Você escreve tão bem amor! Muito liiiiiiiiiiindo MESMO! Caramba! E concordo com o que disse no texto. Só falta a coragem para realmente enfrentar essa tempestade.

    E ah! O meu texto é só um texto.. não aconteceu não viu? HAHA.

    Enfim.. teamoMUITOboneca ♥
    saudade só aumenta!

    ResponderExcluir
  6. Oi querida, me desculpa ter sumido de seu blog. Lindo demais esse seu texto, muito profundo, intenso, cheio de angústia, mas lindo.

    Eu te agradeço demais por indicar o meu livro no seu blog. Isso me deixou muito contente. Eu achei que eu já tinha vindo te agradecer, mas me enganei.

    Um grande abraço,
    Átila Siqueira.

    ResponderExcluir
  7. Muito lindo o post, achei bacana a sua indicação do livro do Átila, muito bacana a divulgação.
    Os tons rosas, lilás, amei. rs
    O fundo do céu meio rosado na foto do seu perfil combinando, de muito bom gosto, te acompanhando pra poder ler mais aqui.

    Bjs no coração

    ResponderExcluir
  8. Amiga querida, deixei selinhos para ti lá no meu blog.

    Um grande abraço,
    Átila Siqueira.

    ResponderExcluir
  9. Adorei esse espaço! Me identifiquei bastante com seu texto! Lindo! Passo a visitar-lhe...

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.