crônicas e contos

; borboletαs no estômαgo ♥

15:49


~ I'm screaming "I love you" so but my thoughts you can't decode. (Decode - Paramore)


Definitivamente, o destino da garota lhe pregaria uma surpresa jamais imaginada.
Distraída naquele parque, vendo todo aquele colorido diário iluminado pelo sol, ouvindo todos aqueles risos infantis brincando de amarelinha, jamais esperava recomeçar o final de uma história.
Um tanto quanto distante, ele a observava. Ela estava com a cabeça na lua, sem dúvidas. Sonhava acordada, deixava-se envolver na roda daquelas crianças.
Era um belo domingo, ensolarado e brilhante.
De repente, seu riso deu de frente com o olhar daquele que ela tanto havia sonhado rever. Ela não podia, ela não conseguia acreditar. Era ele. Era aquele que ela sempre amou, mesmo depois de tanto tempo.
Tempo... Palavrinha sapeca! Palavra que adorava iludí-la. Palavra cujo as curas que trazia consigo ela jamais conseguiu acreditar. E quê reencontro. Foram meia dúzia de palavras trocadas. Ela estava, sem dúvida alguma, anestesiada por aquele sorriso. O sorriso dele sempre deixava-a fascinada. E aquele olhar... O mesmo que havia prometido estar com ela para sempre. Nada falaram sobre si. Só houve um abraço, e ela continuará se perguntando se foi o último ou não. O que o destino aprontaria? Ele havia surgido novamente na vida dela sem pedir licença, sem um aviso, sem nem sequer uma preparação. Ele fazia com que todos os seus instintos ficassem desnorteados. Ele a deixava sem saber o que fazer.
Ela o amou desde as datas mais distantes, e mesmo depois te tanto tempo sem vê-lo, continuava sentindo sua falta, continuava sonhando com o dia que o reencontraria. E esse dia havia chegado. Esse momento.
Não durou tanto quanto ela queria e ela nem ao menos conseguiu perceber se os sentimentos ainda eram os mesmos. Ele se foi.
Atravessou a rua e entrou num carro prata, fez o retorno e partiu. Ele saiu novamente da vida dela sem pedir licença, sem um aviso, sem nem sequer uma preparação.
O que preparava seu destino?
Ela sabia, ou melhor... Ela sentia que aquela história definitivamente não estava acabada. Sentia isso tão forte dentro de si, que por mais que quisesse, não conseguia esquecê-lo, não conseguia acabar com aquela esperança que crescia dentro de si.
Viu-o partir paralisada, sem saber o que fazer, o que dizer ou pensar. Ele apenas disse 'até logo' e se foi. Sabe-se lá até quando.
Ele havia prometido ficar com ela para sempre, e ela nunca conseguiu entender quanto era aquele sempre. Até quando duraria?

Como agir diante do destino? O que fazer quando sua intuição lhe diz algo e a razão lhe diz o inverso? Por mais que dissessem que aquilo era bobagem dela, ela não sentia que era o final da história. Já havia vivido e presenciado outros romances, mas nenhum despertava esse sentimento. Nenhum havia feito ela sentir borboletas no estômago depois de tanto tempo. Nenhum havia impedido que ela assinasse 'fim' na última linha da página.
Era o livro de sua vida, com um capítulo ainda não concluído.

Bons ventos...



ps: não achei outra forma de tentar expressar os fatos reais da minha manhã de domingo. Obrigada, mesmo, aos que leem e comentam aqui.

6 comentários

  1. Texto lindo, expressou seus sentimentos, anseios e angústias com maestria. E digo apenas que o amor é difícil mesmo. Nunca sabemos o que fazer, e tudo o que se possa dizer não faz sentido, cada momento é único.

    Tu me perguntaste se me lembro do dia em que descobri o seu blog. Sinto muito, não estou lembrado mesmo. Ando ruim de memória e muito extressado com lançamento de livro e mais um monte de coisas, assim, minha memória anda péssima. Mas me conte, eu adoraria que você me lembrasse.

    Quero te agradecer a visita no meu blog.

    Um grande abraço,
    Átila Siqueira.

    ResponderExcluir
  2. Bonita "história", filosofando...
    meu primeiro comentário, nervosa! =p
    Não tenho muito o que escrever além de dizer que amei o blog, acho que estou numa fase meio sem inpiração pra essas coisas, q chamamos maravilhosamente de escrever.
    Valew miga...

    ResponderExcluir
  3. por Deus, também estou tentando descobrir, me conte se achar as respostas, rs*

    beijos, querida e obrigada pela visita, volte sempre que quiser

    MM.

    ResponderExcluir
  4. aconteceu de verdade?

    mágico.

    beijonocê, beibe.

    ResponderExcluir
  5. aii qe liindo *-----*
    sempre borboletas no estomago hihi


    beeiijos
    te amo iirmãaa ♥

    ResponderExcluir
  6. Fiquei impressionada com o facto de ser um expressar de algo real e não apenas uma história!
    Tens muito talento!
    Adorei :)

    ResponderExcluir

Puxe a cadeira e sirva-se de um chá.